facebook

Mês: dezembro 2018

Nutrientes mais encontrados em frutas e hortaliças

Nutrientes são essenciais para o bom funcionamento do organismo. Eles são a prova de que os alimentos fazem muito mais do que saciar o apetite e despertar sensações incríveis no paladar.

Os nutrientes chegam ao nosso corpo por meio da alimentação e conhecê-los é fundamental para entender o motivo de termos uma alimentação cheia de frutas e hortaliças. Vamos lá?

 

O que são nutrientes?

Os nutrientes são compostos químicos que constituem os alimentos e que são importantíssimos para o bom funcionamento do corpo humano. Cada um deles tem uma função específica e podemos dividi-los de acordo com elas. Dessa forma, os nutrientes podem ser:

Macronutrientes

São aqueles cuja a quantidade necessária ao organismo é maior. Estão nessa categoria as proteínas, os lipídios e carboidratos.

Micronutrientes

São aqueles cuja a quantidade necessária ao organismo é menor. Vitaminas e sais minerais são exemplos de micronutrientes.

 

Curiosidade: a palavra nutriente tem origem no latim nutriens, de nutrire, que significa “alimentar”.

É importante destacar que tanto a água quanto as fibras alimentares, apesar de essenciais para o bom funcionamento do organismo, não se enquadram na categoria de nutrientes. A água é uma substância e as fibras alimentares são um tipo de carboidrato que não é digerido, logo não pode ser considerado nutriente.


SAIBA MAIS

5 curiosidades sobre a goiaba

Alimentos seguros: o que tem de certo e errado


Como os nutrientes funcionam no corpo

Tudo começa na digestão e, por isso, prestar atenção no que se come é fundamental. Para conseguir os nutrientes necessários para o corpo humano, o ideal é seguir uma dieta balanceada e bem diversificada.

Após o consumo dos alimentos, ele deve ser “partido” em pedaços menores, as partículas. Essas partículas são absorvidas no intestino delgado e, então, cada nutriente passa para a circulação e começa a cumprir sua função dentro da célula.

Como explicamos acima, os macro e os micronutrientes tem funções diferentes dentro das células. Enquanto os macronutrientes são quebrados para gerar energia, os micronutrientes auxiliam no processo dessa quebra.

 

Principais nutrientes encontrados em frutas e hortaliças

As frutas e hortaliças reúnem todos os nutrientes necessários ao bom funcionamento do corpo humano, com exceção da vitamina B12. Quando consumidas dentro de um padrão alimentar saudável, esse alimentos contribuem para o aporte de nutrientes e substâncias como:

Fibras

Vale destacar que o consumo de alimentos crus garante uma maior oferta desse nutriente do que os alimentos cozidos.

Vitaminas

Já dizia a cultura popular, quanto maior a quantidade de cores presente na alimentação, melhor a diversidade na oferta de vitaminas. Assim, como no caso das fibras, o cozimento altera a quantidade desse nutriente.

Minerais

Têm função nobre no organismo. Atuam na estrutura coportal (cálcio), no equilíbrio hídrico (sódio, e potássio), nas funções do metabolismo (ferro, iodo, selênio e zinco), no dentre outros.

Compostos bioativos

Presentes em pequenas quantidades (tanto nas frutas quanto nas hortaliças), essas substâncias tem papel importante na prevenção de diversas doenças e no bom funcionamento do organismo.

Dica: aproveite a agua do cozimento de frutas e hortaliças para enriquecer os demais preparos com nutrientes diversos.

 

Segundo a Embrapa, as cores dos alimentos nos dão informações sobre quais nutrientes podemos encontrar:

tabela nutrientes

 

 

Fonte: Hortifruti, 27 de dezembro de 2018

Benefícios da Jabuticaba – conheça 5 deles

Os benefícios da jabuticaba são muitos e diversos. A fruta é 100% brasileira, originária da nossa Mata Atlântica. O seu nome vem do tupi e pode ter dois significados diferentes: o primeiro quer dizer jabuti (famoso tipo de tartaruga) + caba (gordura), ou seja, a gordura de jabuti; já o segundo significado vem de “iapoti kaba”, ou frutas em botão.

Seja qual for a origem do nome, o fato é que a fruta conquista fãs por todo o País. De casca negra e polpa branca, a jabuticaba cresce colada ao tronco da árvore, tem um formato arredondado e um sabor doce muito apreciado. A safra ocorre duas vezes ao ano, de janeiro a fevereiro e de agosto a setembro.

A maioria da produção é realizada em pomares domésticos e a fruta pode ser utilizada, inclusive, para fazer bebidas alcoólicas. O licor de jabuticaba é conhecido por ser muito saboroso.

Esse aspecto versátil é uma das características marcantes da fruta. Pode ser consumida ao natural, mas também na forma de doces, geleias, licor ou vinho. Os molhos à base de jabuticaba fazem boa combinação com pratos salgados.

Com todas essas características, falar da jabuticaba, assim como saboreá-la, é uma delícia. Neste artigo você vai conhecer:

  • As propriedades nutricionais da jabuticaba;
  • Como comprar e conservar a fruta;
  • 5 benefícios da jabuticaba;
  • Uma receita de molho de jabuticaba de lamber os dedos.

 

Propriedades nutricionais da jabuticaba

Apesar do tamanho, um dos benefícios da jabuticaba é o destaque no aspecto nutricional. Na fruta é possível encontrar pequenas quantidades de ferro. Além disso, a quantidade de vitamina C é expressiva. De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de alimentos (Taco), cada 100 gramas de jabuticaba possuem 16,2 miligramas dessa vitamina.

De acordo com um estudo desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/Florestas), a polpa da jabuticaba cultivada na região sul do país também apresenta boas quantidades de zinco, manganês, magnésio e potássio. Esses minerais são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

  • O zinco tem papel importe para as células cerebrais, retina, fígado, rins, próstata, músculos, cabelos e ossos. Ajuda também na defesa imunológica e na cicatrização. É conhecido por agir como um antioxidante.
  • O manganês está associado a formação de ossos e cartilagens, ao crescimento, à reprodução e a metabolização de açúcares e gorduras
  • O magnésio por sua vez, desempenha papel importante na contração muscular e no crescimento de ossos. Ele converte gorduras, proteínas e carboidratos em energia e contribui para a produção de hormônios corporais
  • Por fim, o potássio estimula as contrações musculares e as transmissões nervosas, agindo no relaxamento muscular. Além disso, atua no balanço e na distribuição de água pelo organismo.

A jabuticaba é ainda um destaque do grupo de alimentos arroxeados e, por isso, apresenta na sua composição flavonoides, elementos que possuem ação antioxidante.

 

Como comprar e conservar a jabuticaba

Na hora de comprar a fruta in natura fique atento. Observe se as jabuticabas estão firmes, brilhantes e sem rachaduras. Todas devem ser bem lavadas em água corrente. Compre apenas a quantidade que for consumir, pois a fruta estraga com muita facilidade. Dentro da geladeira a fruta pode ser conservada de dois a três dias.


SAIBA MAIS

Agrotóxico é realmente necessário?

Saiba como reaproveitar os alimentos.


5 benefícios da jabuticaba

Separamos 5 benefícios dessa frutinha que tem gosto de infância. Confira.

 

1.      Rainha da versatilidade

A jabuticaba é tão versátil que pode ser considerada a rainha das frutas nesse quesito. Seu consumo se dá tanto in natura, como em preparações doces ou salgadas. Além disso, a indústria de cosméticos também a utiliza sob a forma de insumo para produtos de beleza.

Os produtos mais conhecidos são os molhos, geleias, vinhos e licores.

2.      Sua casca apresenta antocianinas

A casca da Jabuticaba apresenta antocianinas – compostos antioxidantes que conferem aos vegetais tons do vermelho ao azulado. É a mesma substância presente nas uvas escuras e nos vinhos tintos e que estudos indicam que faz bem para a saúde.

Por isso, aproveitar até a casca dessa fruta é uma excelente opção. Hoje, no mercado, já é possível encontrar alimentos que levam a casca da nossa pequena notável como ingrediente, são eles: barrinha de cereais, casca passa, aguardente, fermentado, vinagres, além dos preparos caseiros tradicionais, como geleias e compotas.

3.      Espalha-se facilmente em quintais e pomares

Um dos benefícios da cor arroxeada de sua casca é que ela atrai pássaros e insetos. Dessa forma, esses animais, ao se alimentarem da fruta, acabam espalhando as sementes, o que garante a perpetuação da espécie, por quintas e pomares, de maneira natural.

4.      Existem mais de 12 variedades da fruta

A jabuticaba é uma fruta que possui diversas variedades. Já é possível identificar entre 12 a 15 diferentes espécies de jabuticaba. A mais comum delas é a Sabará, sendo essa espécie altamente produtiva e a mais apreciada. Além dessa, outros tipos muito cultivados são a Paulista, Branca, Rajada e Ponhema. Isso faz com que você possa provar diversos sabores e sempre encontrar grandes quantidades da fruta.

5.      Sua madeira é muito utilizada na construção civil

A madeira da jabuticabeira é muito utilizada na construção civil. Mas não fica só nesse ramo. Pode ser usada não só para produção de lenha como também na fabricação de tábuas e móveis de excelente qualidade.

 

Receita de molho de jabuticaba

Confira uma receita fácil e saborosa para aproveitar todos os benefícios da jabuticaba.

Ingredientes

1 xícara de jabuticaba

¾ de xícara de água

½ pote de iogurte desnatado

1 colher de sopa de mel

2 colheres de café de sal

 

Modo de preparo

  1. Primeiramente, coloque as jabuticabas e a água em uma panela e cozinhar em fogo alto por 15 minutos;
  2. Em seguida, peneire a jabuticaba para retirar os caroços e aproveitar as cascas;
  3. Por fim, bater no liquidificador a calda com as cascas, o iogurte, o mel e o sal por 1 minuto.

 

Uma colher de sopa dessa receita (15g) possui 15,71 kcal, 3,43g de carboidrato, 0,45g de proteína, 0,35g de fibra alimentar e 69,60mg de sódio.

 

Fonte: Hortifruti, 20 de dezembro de 2018

Referências:

  • Guia de Alimentos Regionais Brasileiros, Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (Taco), Embrapa e Embrapa Florestas.

Impressora 3D de comida saudável: será esse o futuro da alimentação?

Desde 2014, o uso de impressoras 3D para a produção de alimentos vem sendo testado. Pesquisadores da Nasa, por exemplo, desenvolveram protótipos capazes de imprimir pizzas para os astronautas que estavam em estações espaciais. Já o restaurante Food Ink opera desde 2016 apenas com comidas feitas por meio de impressoras 3D.

 

 

Isso deixa claro que o futuro da tecnologia de alimentos passa pela impressão de comida. Contudo, até agora, a impressão alimentar estava focada apenas em opções calóricas e de baixo valor nutricional. Uma iniciativa de uma pesquisadora holandesa começa a mudar esse cenário.

Pensando em transformar a alimentação humana em algo mais natural, sustentável e saudável, Chloé Rutzerveld desenvolveu o Edible Growth (“Crescimento comestível”). Um projeto que imprime petiscos nutritivos na hora.

 

Conheça o Edible Growth – A impressora 3D de alimentos saudáveis

O Edible Growth “constrói” uma espécie de empada a partir da combinação de uma massa comestível (a esfera que envolve os cogumelos da foto) e camadas de semente, esporos e leveduras. Todos esses “ingredientes” são combinados, impressos e após cinco dias já estão prontos para o consumo. Simples assim.

Impressora 3D de comida saudável pode ser o futuro da alimentação humana
Impressora 3D de comida saudável pode ser o futuro da alimentação humana

Sobre o projeto, a designer explica: “Meu objetivo era usar esta nova tecnologia de maneira a criar alimentos naturais ricos, saudáveis, sustentáveis e nutritivos, que não podem ser feitos com os métodos tradicionais de produção e que contribuem para o nosso bem-estar e para a preservação do meio ambiente. Com o Edible Growth várias etapas desnecessárias da cadeia alimentar desaparecem, resultando na redução do desperdício de alimentos e emissões de CO2. Ao mesmo tempo, o consumidor vai se envolver e ser mais consciente sobre a comida que ele consome”.

Apesar de parecer fácil, o Edible Growth ainda é um protótipo. Atualmente, ele é apresentado em congressos e exposições que tratam sobre o assunto. Além disso, antes de chegar ao mercado, é preciso mais pesquisa. Ainda assim, já é possível vislumbrar um futuro em que alimentos possam ser impressos.


SAIBA MAIS

Produzir sua própria comida tem efeitos positivos até mesmo na escola

Comida 3D ainda não é uma realidade, mas você pode desenvolver uma horta em casa 


As vantagens da comida feita em impressoras 3D

Apesar de não ser possível afirmar quando a tecnologia do Edible Growth vai estar disponível em larga escala, já podemos avaliar os benefícios que essa nova forma de cultivo pode gerar.

Além de garantir o acesso a uma alimentação mais saudável, outros aspectos interessantes acabariam se tornando realidade. Confira abaixo:

  • Menos poluição e uso de plástico

Sem a necessidade do uso de embalagens, o consumo de plástico diminuiria de maneira significativa. Além disso, como o alimento é feito em casa, não seria necessário o transporte, diminuindo a poluição por CO2.

  • Sem desperdício

O uso de impressoras 3D garantiria que os alimentos fossem feitos sob demanda, o que reduziria o desperdício. Algo interessante se levarmos em consideração que somente no Brasil são desperdiçadas mais de 20 milhões de toneladas de alimentos.

Você conhece outros projetos pensados para mudar a forma como vivenciamos a alimentação e a produção de comida? Conte para gente o que você acha dessas iniciativas.

Fonte: Hortifruti, 12 de dezembro de 2018

Ameixa: fonte de fibras e sabor

Não é todo mundo que é fã de ameixa, mas a fruta tem seu lugar seja nas comemorações de final de ano, ou como opção do lanche da tarde. De sabor doce e levemente azedinho, é uma ótima opção para incluir na dieta.

A árvore que dá origem à ameixa é conhecida como ameixeira. Pode atingir até os 3-4 metros de altura, com ou sem espinhos no tronco. Tem origem asiática e ocupou o continente europeu em épocas remotas. Hoje em dia, já é possível encontrar ameixeiras em todo o mundo. A ciência desenvolveu cultivares que se adaptam ao clima de cada região, deixando o consumo mais fácil para quem não vive sem a fruta.

 

Perfil nutricional da ameixa

Conhecida por suas propriedades laxativas, a ameixa é uma fruta que apresenta um perfil nutricional muito interessante. Saborosa e suculenta,  é uma excelente fonte de fibras, o que explica seu efeito no trânsito intestinal. De acordo com a Tabela Brasileira de composição de alimentos (Taco), cada porção da fruta (ou seja, 120 gramas) da variedade Prunos domestica apresenta 3,1 gramas do nutriente. Além disso, a fruta fresca contém baixa quantidade de calorias e diversos fitonutrientes com poder antioxidante.

Se você prefere consumir a versão seca da fruta, saiba que os nutrientes estão bem mais concentrados. A quantidade de calorias também é infinitamente maior e seu consumo é indicado para quem deseja repor, rapidamente, o gasto calórico (no caso dos esportistas, por exemplo).

Outros nutrientes presentes na ameixa:

  • Vitaminas: C e do complexo B
  • Minerais: Potássio, Fósforo, Ferro, Cálcio, Cobre e Zinco.

 

Quantas ameixas comer por dia?

A ameixa é uma fruta maravilhosa e para se obter todos os benefícios que ela proporciona, o ideal é consumi-la frequentemente. A medida caseira da fruta é de 140 gramas, ou seja, 3 ou 4 unidades.

Contudo, vale atenção para não exagerar. A ameixa contém quantidade de oxalato, substância que interfere na absorção de nutrientes importantes.

Embora seja uma fruta macia, a ameixa deve ser consumida enquanto estiver firme, com cor viva e sem partes moles, manchadas ou machucadas.


SAIBA MAIS

Alimentos seguros: o que tem de certo e errado

Conheça a recomendação diária para o consumo de frutas e hortaliças


Existem diversas variedades de ameixa

Uma das principais características da fruta é que ela apresenta uma grande quantidade de variedades. É possível encontrar até 2.000 tipos diferentes de ameixa no mundo. Elas se diferem uma das outras em relação ao tamanho, formato, doçura e cor da polpa.

No entanto, pode-se dizer que esses tipos podem ser classificados em dois. As europeias, que possuem mais fibras solúveis e menos água – excelente para secar – e as japonesas, que possuem mais sumo – excelentes para o consumo in natura.

No Brasil, de acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a ameixeira mais cultivada é a da espécie Prunus salicina – originária do Extremo Oriente – e seus híbridos com variedades europeias e norte-americanas. Integrante do grupo das japonesas, esse tipo suporta pouco frio e tolera temperaturas elevadas, adaptando-se bem ao clima do país.

Já no mercado internacional, a Prunos domestica se destaca, principalmente para o comércio do produto seco. Ela é pouco plantada em nosso País, pois apresenta alta exigência em números de horas de frio durante o inverno, com temperaturas iguais ou inferiores a 7,2ºC, que ocorrem somente nos estados do Sul.

 

Tanto doce quanto salgada

A ameixa é famosa pela sua versatilidade. Além de poder ser consumida seca ou in natura, é possível fazer diversas preparações à base da fruta. Para quem ama doces, é possível usar a fruta em geleias, sucos, doces e bolos. Já quem quer inovar na cozinha, pode dar um sabor agridoce ao usar a ameixa em receitas salgadas, como farofas e carnes assadas, por exemplo.

Famosa nos preparos das comemorações do final do ano, é possível fazer pratos incríveis indo do doce ao salgado. Confira uma receita de lombo com calda de ameixa para começar a refeição e finalize com um delicioso manjar de coco com ameixa para a sobremesa.

 

Fonte: Hortifruti, 10 de dezembro de 2018

Referências:

  • CASTRO, LAS de et al. A cultura da ameixeira. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuaria, Brasilia, DF (Brasil). Centro de Pesquisa Agropecuaria de Clima Temperado. Servico de Producao de Informacao, 1994.
  • HARROLD, J. et al. Dried fruit (prune) consumption does not undermine active weight management or produce adverse gastrointestinal effects. In: European Congress on Obesity by The European Association for the Study of Obesity. 2014.
  • Tabela brasileira de composição de alimentos / NEPA – UNICAMP.- 4. ed. rev. e ampl.. — Campinas: NEPA- UNICAMP, 2011. 161 p

Milho: por que devo colocá-lo na dieta?

Milho é bom demais, seja falando sobre sabor, seja em relação à questão nutricional. Contudo, é fato que nem todo mundo conhece os benefícios desse grão. Presente na alimentação humana há mais de 7.300 anos, o milho é originário da América Central e do Sul. Segundo Mary Poll, em trabalho publicado na revista Pnas, os primeiros registros do cultivo do milho foram encontrados em pequenas ilhas próximas ao litoral do México, no Golfo do México.

No Brasil, o cultivo do grão já era feito pelos índios antes mesmo da chegada dos portugueses. O milho era um dos principais itens da dieta dos povos nativos. A partir da colonização, foi incorporado à alimentação dos colonos e ganhou um grande destaque no País. Você consegue imaginar sua vida sem milho?

Além do consumo direto, o milho é usado como ingrediente básico para processos industriais. É parte componente de produtos como amido, azeite e proteínas, edulcorantes alimentícios e combustível. Até mesmo na cerveja é possível encontrar o milho.


VEJA TAMBÉM

Consumo de frutas e hortaliças: qual a recomendação diária?

Conheça o lado bom de alguns alimentos que ninguém gosta


Confira cinco benefícios do milho e saiba porquê colocá-lo de vez na dieta.

Acredite, você e sua família só tem a ganhar ao colocar o milho no seu dia a dia alimentar. Cheio de nutrientes e com uma enorme variedade de preparos, o milho é o tipo de grão que pode ser considerado um superalimento.

Abaixo você confere seis excelentes benefícios do milho. Depois, é só colocar na dieta e aproveitar.

 

  • Fonte de fibras

De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA), o milho pode ser considerado fonte de fibras. Uma espiga de milho (cerca de 100 gramas) contém 3,92 gramas do nutriente.

A fibra alimentar é importante para o equilíbrio do organismo, pois ajuda na sensação de saciedade e no bom funcionamento intestinal. A quantidade recomedade de ingestão diária de fibras é bem estabelecida: para adultos: 25 a 35g ao dia.

 

  • Ótima fonte de carboidrato

É uma excelente fonte de carboidrato. De acordo com a TBCA, a cada 100 gramas se encontram 24,7 gramas de carboidrato disponível. Ou seja, é uma ótima fonte de energia.

Quando abordamos a questão do carboidrato disponível, estamos subtraindo a quantidade de fibras. Fazer esse cálculo é importante, pois apesar de ser um tipo de carboidrato, a função da fibra alimentar é diferente da do carboidrato disponível. Assim:

  1. O carboidrato disponível é utilizado para fornecer energia para o organismo.
  2. A fibra alimentar é importante para o bom funcionamento do sistema digestivo.

 

  • Possui muitas vitaminas e minerais

O grão apresenta em sua composição vitaminas A, B1 e minerais como magnésio, ferro, fósforo e potássio. Todos esses são nutrientes importantíssimos para o bom funcionamento do organismo. A vitamina B1, por exemplo, participa de processos metabólicos importantes do sistema nervoso, coração, células do sangue, músculos e também do metabolismo de carboidratos.

 

  • Ótima opção para os celíacos

Pessoas intolerantes ao glúten enfrentam uma verdadeira batalha na busca de alimentos que podem ser consumidos sem riscos. Caracterizada por uma reação inflamatória na mucosa do intestino delgado, a doença celíaca pode causar diversas complicações, como diarreias, vômitos, enxaquecas, dermatites, entre outras.

O milho é uma boa opção para quem é celíaco, pois não contém glúten e ainda é base de produtos que podem ser usados para substituir a farinha de trigo, como a farinha de milho e o fubá.

 

  • É muito (mas muito) versátil

Não interessa se doce ou salgado, o milho é ingrediente principal de diversas receitas. Queridinho das festas juninas, o grão pode ser utilizado in natura, em conserva e nos preparos de curau, canjica, sucos e muito mais.

Da mesma forma, quem busca um petisco fácil de fazer e delicioso, pode investir na tradicional pipoca. Se o objetivo é um prato para o almoço ou jantar, invista no creme de milho ou no cuscuz paulista.

Terminada a refeição, é hora de partir para a sobremesa. Nem nesse momento o milho se faz de rogado. Você pode fazer pamonhas, bolo e até mesmo sorvete de milho verde.

 

Na hora de comprar o milho em conserva, confira o rótulo. Hoje em dia já é possível encontrar versões sem o acréscimo de sal ou açúcar, apenas imerso em água, preservando suas propriedades, sem aumentar a quantidade de sódio, por exemplo.


SAIBA MAIS

Agrotóxicos: perigos, riscos e percepções

Alimentos orgânicos ou convencionais? Qual o melhor?


Milho é transgênico? Posso consumir?

Exatamente devido à sua importância, o milho foi um dos primeiros alimentos a ter uma versão transgênica. Em 1996, nos Estados Unidos, a cultura ganhou genes que apresentavam características que facilitavam o manejo do agricultor. Anos depois, em 2007, essa tecnologia foi introduzida no Brasil. Hoje, boa parte do milho consumido no mundo é geneticamente modificado. Mas não se preocupe, antes de serem liberados para plantio, consumo humano ou alimentação animal, qualquer transgênico é rigorosamente testado e sua biossegurança garantida.

 

Fonte: Hortifruti, 04 de dezembro de 2018

Referências:

  • Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA). Universidade de São Paulo (USP). Food Research Center (FoRC). Versão 6.0. São Paulo, 2017. [Acesso em: agosto/2018 ]. Disponível em: http://www.fcf.usp.br/tbca/