facebook
Voltar para a lista

Agrotóxicos nos alimentos: como fica a minha saúde?

08/04/2019

Agrotóxicos nos alimentos

Muitas pessoas se preocupam com os resíduos de agrotóxicos nos alimentos. Mas será que eles podem mesmo ser prejudiciais à saúde?

Para que um agrotóxico (defensivo agrícola, pesticida ou produto fitossanitário) seja aplicado nas plantações, diversas recomendações devem ser seguidas. Dessa forma a prática é feita de forma correta e segura. Se essas boas práticas forem respeitadas, os produtos não colocarão em risco a saúde do consumidor. Isso mesmo que haja algum resíduo no produto final.

Na própria bula do agrotóxico é especificado o que chamamos de “período de carência”. Esse período corresponde ao número de dias que o produtor deve esperar para fazer a colheita do produto após a aplicação no campo. 

Quando esse período é observado, os alimentos serão seguros para consumo. Isso quer dizer que, mesmo que apresentem algum resíduo, eles estarão dentro do limite de segurança. Ou seja, níveis baixíssimos dessas substâncias.


SAIBA MAIS

Agrotóxicos: saiba o que é mito e o que é verdade

Rastreabilidade de alimentos contribui para consumo responsável


Limite máximo de resíduos de agrotóxicos nos alimentos

Os limites de segurança dos agrotóxicos nos alimentos são definidos pelas autoridades para cada tipo de agrotóxico. São estabelecidos com base na quantidade de resíduos potenciais que podem ser consumidos por uma pessoa, durante toda a vida, sem representar qualquer risco para a saúde dela.

Para isso, foi criado um índice chamado Limite Máximo de Resíduo (LMR). O LMR é determinado e divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) de forma específica para cada produto químico comercializado.

Além do LMR, a ANVISA também estabeleceu o índice Ingestão Diária Aceitável (IDA). O IDA é a concentração máxima de resíduo de agrotóxico que pode ser ingerida por dia por uma pessoa durante toda a vida, de modo a não causar danos à saúde.

O IDA é obtido por meio de estudos toxicológicos que são submetidos à ANVISA na ocasião de registro do defensivo. Essa dose é dividida centenas de vezes para se ter a segurança de que, de fato, é um limite não prejudicial à saúde.

Segurança dos agrotóxicos: como são avaliados

Em 2001 foi criado um Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA). O objetivo é avaliar os níveis de agrotóxicos nos alimentos que chegam à mesa do consumidor.

Esse programa é coordenado pela ANVISA em conjunto com outros órgãos estaduais e municipais de saúde pública. Funciona a partir de amostras coletadas em pontos de venda pelas vigilâncias sanitárias dos estados e municípios. As equipes enviam o material para os laboratórios de análise de resíduos de agrotóxicos.

Tabela agrotóxicos nos alimentos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) realiza, desde 2006, o Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes em Produtos de Origem Vegetal (PNCRC/Vegetal). O PARA e o PNCRC são responsáveis pela fiscalização do cumprimento das boas práticas de aplicação de defensivos no campo.

Um relatório realizado pelo PARA de 2013 a 2015 mostrou que a grande maioria dos alimentos monitorados era seguro para consumo humano. Os dados mostram que, mesmo com o uso agrotóxicos para proteger as culturas agrícolas das pragas, o controle e a fiscalização garantem a segurança no consumo.

 

Fonte: Hortifruti, 08 de abril de 2019

melao

Fruta tipo exportação: melão brasileiro

Notícia

O melão é fruta mais exportada pelo Brasil em volume. Conheça mais dessa fruta deliciosa e refrescante ...

18/04/2018

pitanga

5 curiosidades sobre a pitanga

Notícia

Nativa do Brasil, a pitanga guarda segredos incríveis. Conheça 5 deles e se delicie com essa fruta que é a pequena notável do Brasil! ...

05/09/2018

consumo de frutas

Por que o consumo de frutas e hortaliças é importante?

Notícia

Não é só conversa de mãe: estudo britânico mostra que comer 10 porções de frutas e hortaliças todos os dias pode ajudar a viver mais e melhor ...

16/10/2017