facebook
Voltar para a lista

Alimentos Orgânicos X Convencionais: qual o melhor?

14/11/2018

Alimentos orgânicos ou convencionais

A busca por um estilo de vida mais saudável faz com que cada vez mais pessoas busquem informações a respeito do método de produção de seus alimentos. É fácil encontrar conteúdo sobre alimentos orgânicos e convencionais, mas você realmente sabe o que é cada um deles?

Neste artigo, vamos apresentar a resposta para as perguntas mais comuns de quem está querendo entender de vez qual a diferença entre essas duas formas de produção. Aqui você vai ler:

  • O que são alimentos orgânicos;
  • O que são alimentos convencionais;
  • Qual deles é mais nutritivo;
  • O que você precisa saber sobre defensivos químicos;
  • Se todos os alimentos usam defensivos químicos;
  • Qual a melhor opção para a sua alimentação.

 

O que são alimentos orgânicos?

Alimentos orgânicos são aqueles produzidos em sistemas que não utilizam compostos sintéticos ou transgênicos. Tem como princípio básico o uso sustentável do meio ambiente. A ideia é produzir da forma mais natural possível. Além disso, no caso de alimentos processados, é proibido o uso de radiações ionizantes e de aditivos químicos sintéticos, como corantes e emulsificantes, por exemplo.

Esses alimentos são mais suscetíveis a pragas e estragam com mais facilidade. Por isso, o consumidor deve ter muita confiança no produtor para evitar a compra de produtos contaminados.

Uma das formas de verificar que alimento esta de acordo com os parâmetros de qualidade e segurança estabelecidos  por lei é procurar por selos de qualidade emitidos por certificadoras reconhecidas pelo Ministério da Agricultura (MAPA), como Associação de Agricultura Orgânica (AAO) e o Instituto Biodinâmico (IBD), por exemplo.

Os únicos produtores que não precisam do selo são os agricultores familiares, que fazem parte de organizações de controle social cadastradas no MAPA, e que comercializam exclusivamente em venda direta aos consumidores.

 

O que são alimentos convencionais?

Alimentos convencionais são aqueles que contam com a utilização de insumos e tecnologias agrícolas (fertilizantes e defensivos químicos, entre outros). Esse tipo de plantio tem ênfase na produtividade em larga escala. Gera alimentos mais padronizados em relação ao tamanho, peso, coloração e textura.

Esses alimentos têm uma maior durabilidade e são mais fáceis de produzir. Dessa forma, são mais baratos e conseguem atender grandes demandas, tanto nacionais quanto internacionais.


VEJA TAMBÉM

Agrotóxicos: perigos, riscos e percepções

Exageros e omissões sobre agrotóxicos


Existe diferença nutricional entre as duas formas de produção?

O crescimento da popularidade dos alimentos orgânicos levou ao aumento de pesquisas científicas. Essas pesquisas tinham como objetivo verificar se existe algum tipo de vantagem nutricional nos produtos não-convencionais. No entanto, esse campo ainda é pouco explorado e necessita de mais estudos.

As pesquisas desenvolvidas até hoje não indicam nenhuma diferença nutricional entre os dois tipos de alimento. De acordo com dados levantados pelos cientistas Bourn e Prescott, com exceção do conteúdo de nitrato e do teor de matéria seca mais elevado, não há nenhuma evidência forte de que os alimentos orgânicos e convencionais sejam diferentes em relação a composição nutricional.

Além disso, a maioria dos estudos sobre a qualidade nutricional de alimentos orgânicos e convencionais faz comparativos de teores de nutrientes, entretanto são praticamente inexistentes os estudos de cunho epidemiológico que fazem uma associação com a saúde humana. Isso porque, a comparação é difícil de ser realizada, pois os hábitos de consumo e estilos de vida de consumidores também são diferenciados.

 

Como lidar com os defensivos químicos?

Um dos principais receios em relação ao alimento convencional reside no fato deste contar com o uso de defensivos agrícolas. Esse temor não é infundado. Pesquisas já indicaram que pessoas expostas à alta dosagem de agrotóxicos podem desenvolver problemas crônicos, como diminuição de fertilidade e o desenvolvimento de alguns tipos de câncer, por exemplo.

No entanto, de acordo com literatura científica e a maioria dos especialistas, a aplicação controlada de fertilizantes, defensivos agrícolas e outros produtos químicos não causam dano à saúde. O que gera preocupação é o uso excessivo e descontrolado desses produtos.

Um defensivo agrícola deve ser visto como um remédio contra pragas da lavoura. Assim como um medicamento, os produtos químicos a serem utilizados na produção de alimentos também precisam de receita. Nesse caso, elas são chamadas de receituário agronômico. Esse receituário precisa ser elaborado por um engenheiro agrônomo e para a sua aplicação deve ter descrito: o alvo (ou seja, a praga), a dosagem, o diagnóstico da área, entre outros dados.

Além disso, é necessário que o produto utilizado tenha registro nos órgãos competentes. Hoje no Brasil, o registro é um processo demorado, que segue rigorosos padrões internacionais. O produto precisa ainda ser aprovado e fiscalizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), MAPA, IBAMA e Ministério da Saúde.

Por isso, antes de comprar um alimento, o ideal é que o consumidor saiba qual a fonte, para saber se todos os passos acima foram seguidos corretamente e que o alimento convencional é seguro.


SAIBA MAIS

Hortifruti orgânico é mais seguro que o alimento convencional?

Existem regras para aplicação de agrotóxicos em lavouras de hortifruti?


Todo alimento convencional utiliza defensivo químico?

Em um País com o clima tropical como o nosso, o uso de defensivos químicos em lavouras convencionais comerciais é visto como essencial por muitos produtores. As altas temperaturas e a ausência de invernos rigorosos faz com que as pragas se desenvolvam em um ritmo muito acelerado, tornando necessário algum tipo de controle.

Entretanto, o uso de tecnologia pode mudar a forma desse controle. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o manejo integrado de pragas reduz a aplicação de defensivos químicos em cerca de 50%.

 

Mas então, qual a melhor opção?

Depois de ler todo o artigo e aprender o que são alimentos orgânicos e convencionais, você ainda pode estar se perguntando qual a melhor opção para seu dia a dia. É importante entender que não existe vilão quando abordamos a produção de frutas e hortaliças e que o principal para uma vida mais saudável, é aumentar o consumo desses alimentos.

A compra de verduras, legumes e frutas exige certo cuidado, principalmente em relação ao conhecimento da cadeia de produção. Seja qual for a sua escolha fique atento! Independente de ser convencional ou orgânico, o importante é consumir um alimento seguro!

 

Fonte: Hortifruti, 14 de novembro de 2018

Referências:

Uso de agrotóxicos no Brasil

Saiba como é o uso de agrotóxicos no Brasil

Notícia

Estudos apontam que o uso de agrotóxicos no Brasil é bem menor do que em outros países quando comparamos seu emprego por área cultivada ...

23/04/2019

Cacau: o ouro negro ressurge no cenário brasileiro

Notícia

Vedete da Páscoa, o cacau, matéria-prima do chocolate, ressurge no mercado nacional apesar das dificuldades de cultivo ...

29/03/2018

Como ter uma alimentação saudável

Como ter uma alimentação saudável: saiba o que pode estar te sabotando

Notícia

Muita gente não sabe, mas pode estar atrapalhando a si mesma quando o assunto é como ter uma alimentação saudável ...

26/02/2019