facebook
Voltar para a lista

Alimentos transgênicos: o que são e quais suas características?

13/09/2020

Alimentos transgênicos

 consumo de alimentos transgênicos é sempre pauta de debate quando o assunto é alimentação saudável. Sendo assim, para que você não tenha mais dúvidas na hora de consumir alimentos transgênicos, explicamos abaixo tudo que você precisa saber sobre o assunto: o que são, quais suas características, como identificar e qual o impacto para a sua saúde.

O que são alimentos transgênicos?

Alimentos transgênicos são aqueles provenientes de organismos, que tiveram seu DNA modificado pela inserção de um ou mais genes de outro organismo. Parece estranho? Antinatural? Mas, saiba que as técnicas usadas na produção de transgênicos foram inspiradas na capacidade que algumas bactérias do solo têm de transferir genes para plantas. Sendo assim, o processo ocorre na natureza há milhares de anos.

Essa melhoria é feita por meio de técnicas da biotecnologia capazes de identificar, isolar e transferir o material genético (genes) entre organismos de diferentes espécies. Aquelas espécies que recebem o gene também são, portanto, conhecidas como organismos geneticamente modificados (OGM).

Alimentos transgênicos fazem mal à saúde?

Os produtos transgênicos são muito estudados e, antes de serem liberados para comercialização, são submetidos a rigorosas análises relacionadas ao impacto da introdução de genes na planta, no meio ambiente, na saúde dos animais e na nossa saúde.

Por isso, para avaliar a segurança de cada produto é preciso pesquisar:

  • Como os genes inseridos se comportam dentro da planta;
  • Os efeitos dos genes inseridos no ambiente e nos organismos que podem se relacionar com a planta (mesmo que sejam predadores da planta);
  • Se os genes inseridos poderiam produzir alguma proteína que provoca alergia;
  • Se a composição nutricional do alimento transgênico é diferente do não transgênico.

Dessa forma, os resultados desses estudos passam pela avaliação de uma comissão de especialistas independentes. Aqui no Brasil, cada produto é estudado de acordo com a Lei de Biossegurança 11.105/05. Em outras palavras, é preciso seguir procedimentos específicos para se desenvolver um organismo que receba genes de outro ser vivo.

Além dos procedimentos, é preciso provar que o gene não irá provocar nenhum efeito ruim. Por isso, os transgênicos são considerados os produtos agrícolas mais avaliados do mundo. Sim, apenas os transgênicos passam por todos estes testes. Por sua vez, uma planta que passou pelo melhoramento genético sem receber genes de outras espécies não passa por estudos de segurança.

Segurança atestada

Além dos testes de avaliação de cada produto de biotecnologia, diversos laboratórios do mundo já pesquisaram a segurança dos alimentos transgênicos. Nesse sentido, mais de 1800 estudos independentes concluíram que as culturas transgênicas são tão seguras como quaisquer outras culturas.

Mais de duas décadas de uso

As culturas biotecnológicas foram introduzidas no Brasil pela primeira vez em 1998. Desde então, tornaram-se uma das inovações agrícolas mais rápidas e amplamente adotadas da história. Nesse tempo, não houve um caso documentado de culturas biotecnológicas perigosas para os seres humanos ou para o meio ambiente.

Como identificar a presença de alimentos transgênicos

alimentos transgênicos rotulagem

Esses alimentos possuem o mesmo aspecto visual, mesmo aroma, sabor e mesmas características nutricionais que os demais alimentos. Ou seja, são como outro alimento qualquer.

Dessa maneira, no Brasil, o Decreto 4.680 de 2003 e uma decisão tomada pelo Tribunal Regional Federal 1 (TRF-1) em 2016, determinam que os alimentos que contêm transgênicos ou são produzidos a partir deles devem ser rotulados independentemente do percentual na sua composição. 

Além disso, a regulamentação também estabelece que a rotulagem deve conter:

  • Símbolo de transgênico na embalagem. A representação é um triângulo amarelo, com a letra T dentro;
  • Frase “produto produzido a partir de soja transgênica” ou “contém soja transgênica”;
  • Nome da espécie doadora do gene junto à identificação dos ingredientes ou sigla OGM (Organismo Geneticamente Modificado).

Leia também

A berinjela como você nunca viu


Quais são os tipos de alimentos transgênicos que existem?

cuscuz milho transgênico

No Brasil, as plantas que dão origem aos alimentos transgênicos são a soja, o milho, o algodão e, algumas variedades de cana-de-açúcar. Sendo assim, é bem provável que você consuma transgênicos todos os dias, pois muitas dessas culturas servem como ingredientes para diversos alimentos processados e industrializados.

Nessas plantas adicionaram-se genes que resultam em características como:

  • Resistência a vírus;
  • Tolerância a herbicidas;
  • Resistência a insetos;
  • Tolerância a seca;
  • Aumento na produção de celulose;
  • Qualidade de óleo melhorada.

Além disso, existem outras formas dos organismos transgênicos estarem presentes na nossa alimentação, como os microrganismos utilizados para a produção de queijo.

Enquanto isso, em outros países do mundo, aprovam-se outros tipos de alimentos transgênicos, inclusive animais. É o caso do salmão transgênico, primeiro animal geneticamente modificado aprovado para o consumo humano, liberado nos Estados Unidos e no Canadá.

Ademais, no caso das plantas, embora 99% das culturas transgênicas cultivadas no mundo sejam soja, milho, algodão e canola, existem outras que também são produzidas, como mamão, abóbora, berinjela e alfafa.

Que vantagens os transgênicos trazem?

Você pode estar se perguntando quanto as características que beneficiam a agricultura como: a tolerância a herbicidas e resistência a insetos nos afeta. Diretamente, não. Afinal, as alterações foram feitas para auxiliar o trabalho dos produtores no campo. Mas, sempre que eles ganham facilidade, nós ganhamos maior oferta de alimentos. Portanto, essa mudança no material genético da soja já nos beneficiou.

Confira as vantagens dos transgênicos abaixo:

Mais com menos

A biotecnologia agrícola revolucionou a produção de grãos. Por isso, com ela, o Brasil aumentou sua produção de grãos numa proporção muito maior do que o aumento de área plantada. Isso quer dizer, portanto, que a biotecnologia aumentou a produtividade da lavoura e o produtor não precisou plantar em novas áreas.

Sustentabilidade ambiental

Com o menor uso de inseticida, o produtor não precisa levar tantas máquinas para dentro do campo. Sendo assim, aqui no Brasil, a biotecnologia resultou na economia de combustível estimada em 377 milhões de litros só por isso. Dessa forma, a quantidade equivale à metade do consumo de diesel para todo o setor agropecuário brasileiro durante um ano.

Benefício nutricional

Os alimentos transgênicos têm um potencial enorme de auxiliar em deficiências nutricionais. Nesse sentido, o arroz dourado é um exemplo. Trata-se de um arroz transgênico rico em betacaroteno (vitamina A). Produto importante para impedir o problema de perda de visão em crianças onde a alimentação básica é o arroz.

Segundo a OMS, meio milhão de crianças ficam cegas a cada ano por causa da deficiência de vitamina A.  Além disso, estima-se que mais de 100 mil crianças menores de cinco anos morrem todos os anos por falta desse nutriente.

Preservação da biodiversidade

A biotecnologia é uma importante ferramenta para monitorar o processo de redução da variabilidade genética e a eventual extinção de espécies. Ademais, ela contribui para o aumento da produtividade no campo, recupera áreas abandonadas e diminui a pressão por novas fronteiras agrícolas. Dessa forma, conserva a biodiversidade de áreas de preservação da flora e fauna.

Como são produzidos os transgênicos

A produção de transgênicos segue uma série de etapas que levam vários anos. Ela é possível graças a uma descoberta da ciência em 1972 que ficou conhecida como tecnologia do DNA recombinante. Com isso, foi possível “cortar” o genoma de um organismo em pequenos fragmentos de DNA para então inseri-los em outro.

Nesse sentido, para o desenvolvimento de um organismo transgênico são necessários muitos anos de pesquisa. Dessa forma, o trabalho envolve cientistas de diversas áreas do conhecimento, a exemplo de biologia molecular, genética, bioquímica, bioinformática e agronomia.


Leia também:

Milho: alimento de mil cores


Veja abaixo como se produz uma planta transgênica:

Como produzir uma planta transgênica

Você sabe quais são as plantas verdadeiramente brasileiras? Conheça elas aqui!

Principais fontes:

CTNBio. Disponível em: http://ctnbio.mctic.gov.br. Acesso em: 18.08.2020.

Delaney, B.; Goodman, R. E.; Ladics, G. S. Food and Feed Safety of Genetically Engineered Food Crops. Toxicological Science, 2018.

ISAAA. Global Status of Commercialized Biotech/GM Crops in 2018: Biotech Crops Continue to Help Meet the Challenges of Increased Population and Climate Change. ISAAA Brief No. 54, 2019.

Kumar, K. et al. Genetically modified crops: current status and future prospects. Planta, 2020.

Jabuticaba

5 benefícios da jabuticaba: fruta com sabor e versatilidade

Notícia

Conheça 5 benefícios da jabuticaba, essa fruta tipicamente brasileira que tem gostinho de infância e faz muito bem para a saúde ...

20/12/2018

como cultivar hortaliças

Como cultivar hortaliças em casa

Notícia

Muitas pessoas têm dúvidas sobre como cultivar hortaliças. Pensando nisso, o Saber & Saúde preparou um passo a passo para quem deseja plantar em casa ...

15/02/2019

Você sabe o que é o picles? Descubra conosco

Notícia

Picles é sempre pepino? Não necessariamente. É possível fazer picles de qualquer vegetal. Conheça mais dessa forma de preparar e consumir alimentos ...

19/09/2018