facebook
Voltar para a lista

Hortifrutis: 2021 é o ano internacional desses alimentos

hortifrutis

As hortifrutis estão em destaque e isso não é por acaso. Fontes de vitaminas, minerais, compostos bioativos, fibras e outros nutrientes, as frutas, legumes e verduras são essenciais para a saúde humana.

Nesse sentido, para combater o câncer, diabetes, obesidade e até mesmo doenças cardíacas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que cada adulto consuma pelo menos 400 gramas de hortifrutis diariamente! Contudo, esse valor não é alcançado para a maioria das pessoas no mundo. 

Por isso, vamos conhecer um pouco mais sobre as hortifrutis e a importância de um ano dedicado a esses alimentos.

O que são as hortifrutis?

Consideram-se hortifrutis aqueles alimentos provenientes da horticultura e fruticultura, ou seja, são as frutas, legumes e verduras.

No entanto, a dúvida sobre um alimento ser uma fruta, um legume, uma verdura ou até mesmo uma hortaliça é bastante comum. A verdade é que não existe uma definição amplamente aceita sobre esses termos.

Francisco Henrique "A divisão entre frutas, legumes e verduras têm um caráter mais comercial e culinário, que botânico. Essa diferenciação acontece para ser mais fácil na hora da compra e venda desses hortifrutis."
Francisco Henrique - Doutor em agricultura tropical e Produtor de conteúdo do HF

Dessa forma, para representar o Ano Internacional das Frutas, Legumes e Verduras, a FAO utilizou a seguinte definição:

Frutas e vegetais são considerados partes comestíveis de plantas (por exemplo, estruturas portadoras de sementes, flores, botões, folhas, caules, brotos e raízes), cultivadas ou colhidas silvestres, em seu estado bruto ou em uma forma minimamente processada.

No entanto, alguns alimentos que se enquadram nesse conceito foram excluídos pela FAO. São eles:

  • Raízes e tubérculos com amido, como mandioca, batata, batata doce e inhame;
  • Leguminosas secas de grãos;
  • Cereais, incluindo milho;
  • Nozes, sementes e sementes oleaginosas, como cocos, nozes e sementes de girassol;
  • Plantas medicinais ou à base de ervas e especiarias;
  • Estimulantes como chá, cacau e café.
  • Produtos processados e ultra processados feitos de frutas e vegetais.

Sendo assim, fica claro a ênfase que a organização quer dar à alimentos como frutas frescas, alguns tipos de legumes e verduras:classificação dos hortifrutis

Todos esses alimentos são hortaliças. No entanto, consideramos como legumes aqueles vegetais que possuem frutos, raízes e caules comestíveis, desenvolvidos em cima ou abaixo da terra. Por sua vez são consideradas verduras todas as folhas, flores, botões florais ou hastes.

Mas e as frutas? O conceito de fruta não existe na botânica: esse, sim, é um termo exclusivo da culinária que faz referência aos frutos doces e comestíveis. Ou seja, pode-se dizer que frutas são legumes adocicados ou cítricos.

Não confunda FRUTA com FRUTO. 

O fruto é uma nomenclatura botânica para estruturas que se desenvolvem a partir do ovário das plantas. Ou seja, o ovário desenvolvido é um fruto.

Por exemplo: o tomate é um fruto, porque ele vem do desenvolvimento do ovário da flor do tomateiro. Mas ele não é comumente chamado de fruta, porque ele não é doce. Por isso, o tomate ficou conhecido como legume, o que também não está errado.


Frutas, verduras e legumes em destaque na ONU

Ter a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a ONU dedicando a temática de um ano para os hortifrutis é de grande importância, ainda mais na atual situação de pandemia que o planeta se encontra.

ano dos hortifrutis

Na prática, a temática visa chamar a atenção da população e dos governos para a cadeia de produção e consumo de frutas e vegetais. Nesse sentido, é preciso melhorar a condição de trabalho dos agricultores, incentivar a adoção de tecnologias modernas e sustentáveis no campo, reduzir a perda, conscientizar sobre os benefícios nutricionais e aumentar o consumo de hortifrutis.

As hortifrutis devem estar no prato

comer hortifrutis

Adicionar legumes e verduras no prato e comer frutas durante o dia são medidas necessárias, saborosas e podem proteger você e sua família contra muitas doenças. Não acredita?

Segundo a OMS, em 2017, cerca de 3,9 milhões de mortes em todo o mundo foram atribuídas ao consumo insuficiente de frutas, legumes e verduras (FLV). 

Outro estudo, publicado no The Lancet, estimou que a baixa ingestão de FLV é responsável por cerca de 14% das mortes por câncer gastrointestinal em todo o mundo. Além disso, 11% das doenças cardíacas isquêmicas e cerca de 9% das causas de acidente vascular cerebral.

Enquanto isso no Brasil, o estudo Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) também aborda o consumo de FLV relacionando-o com a prevalência de doenças.

Segundo os dados da pesquisa, em média, a frequência do consumo de hortifrutis, dentro do recomendado pela OMS, foi de apenas 22,9% no ano de 2020. O estudo também destacou o aumento de doenças como diabetes, hipertensão arterial e obesidade nos adultos entrevistados.

O consumo de hortifrutis melhora saúde

Publicado na conceituada revista International Journal of Epidemiology, um estudo liderado por pesquisadores do Imperial College London mostrou que o consumo diário de até 800 g de frutas e verduras podem reduzir o risco doenças cardiovasculares. O levantamento realizado pelos cientistas também apontou que cerca de 7,8 milhões de vidas poderiam ter sido salvas pelo consumo regular de hortifrutis.

A quantidade ideal de frutas, legumes e verduras a serem consumidos depende de vários fatores, incluindo idade, sexo e nível de atividade física. Dessa forma, o mínimo que a OMS recomenda é de 400 g por dia. Parece muito, mas não é:

Recomendação diária de FLV tabela

Ou seja, ao seguir essa recomendação você vai dar ao seu organismo combinações de nutrientes como vitaminas, cálcio, ferro e ácido fólico que fortalecem o sistema imunológico e ajudam a proteger contra doenças ao longo da vida. 

Além disso, frutas e vegetais podem beneficiar a sua saúde mental, reduzindo riscos de depressão e ansiedade. Reduzem também as chances de uma pessoa se tornar obesa, de desenvolver diabetes e diversos tipos de câncer como os de pulmão, cólon, mama, colo do útero, esôfago, cavidade oral, estômago, bexiga, pâncreas e ovário.

Sem contar que o consumo adequado de hortifrutis melhora a saúde intestinal promovendo aumento da diversidade de bactérias intestinais benéficas. Por último, ajuda a combater problemas intestinais como gases, prisão de ventre e diarreia.

Sueli Longo "São as fibras insolúveis presentes nas frutas e vegetais que promovem o aumento do volume fecal e melhoram o funcionamento do intestino. Além disso, esse tipo de fibra confere maior saciedade contribuindo assim no tratamento da obesidade."
Sueli Longo - Nutricionista, especialista em nutrição e esporte e mestre em comunicação social.

Diversificar as hortifrutis é importante

Não se esqueça de variar nas escolhas das hortifrutis na hora do rancho. Nesse sentido somos privilegiados de viver em um país tropical e devemos, portanto, aproveitar a diversidade de frutas, legumes e verduras que a nossa agricultura proporciona.

diversifique os hortifrutis

O Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo, ficando atrás apenas da China e da Índia. Em 2018 o Brasil produziu 50,2 milhões de toneladas de frutas e legumes, e a expectativa do setor é de um crescimento anual de 3,2% até 2025. 

Além da grande quantidade de hortifrutis, o Brasil também se destaca na variedade e o consumidor brasileiro é que ganha com isso. Afinal, nada melhor do que poder variar e investir em hortaliças diferentes no dia a dia.

Pensando nisso, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) preparou um material com dicas para comprar, conservar e consumir as 50 hortaliças mais conhecidas dos brasileiros. Você pode acessar o conteúdo clicando aqui!

hortaliças para o dia a dia

Agora, se você já conhece todas essas hortaliças, convidamos você a explorar as Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs). Quando falamos em PANCs estamos nos referindo a espécies vegetais que são ricas em nutrientes, mas que não fazem parte da nossa alimentação diária.


Saiba mais

PANCs: conheça as plantas alimentícias não convencionais

Melhorar saúde: a solução para ser saudável está no seu prato


A Embrapa e a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), tem buscado realizar levantamentos de espécies que possam ser incorporadas na dieta alimentar e você pode conhecer algumas delas clicando aqui e aqui!

E aí, o que você está esperando para começar a comer 400 g de hortifrutis por dia?

Sinal de alerta: o brasileiro tem consumido poucos hortifrutis

Em uma pesquisa realizada em 2018 pelo Instituto Datafolha, sobre o comportamento dos brasileiros quanto ao consumo de hortifrutis, foi verificado que apenas 40% da população deve estar seguindo a recomendação da OMS. 

Além disso, a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada em 2020 mostrou que houve uma redução no consumo de frutas, verduras e legumes pelos brasileiros, quando comparado aos dados da POF de 2008-2009.

Dessa forma, a POF mostrou que os hortifrutis mais presentes na mesa do brasileiro são:

Frutas, legumes e verduras mais consumidos

Dicas para comer mais hortifrutis

Frutas, legumes e verduras são baratos, bonitos e saborosos. O que você precisa é de curiosidade para diversificar nas escolhas de hortifrutis e criar diferentes combinações. Afinal, existe muito mais opções do que o tomate, alface, cenoura e banana.


Leia também

Alimentação saudável é direito de todos


Por isso, escolha cores variadas, roxo, vermelho, laranja, amarelo, verde. Deixe sua casa colorida, pois cada cor está associada a diferentes nutrientes e o equilibro vai te deixar mais saudável.

Experimente diferentes formas de preparo. A salada crua é prática e gostosa, mas você pode incrementá-las com frutas, manga e abacate. Uma boa couve à mineira, um repolho refogado e até mesmo um carpaccio de berinjela são opções para sair da caixinha.

No entanto, é bom ficar atento, afinal a forma de preparo e apresentação, que podem sim, alterar as propriedades nutricionais dos alimentos. De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o ideal é dosar a temperatura, o tempo de cozimento e utilizar preferencialmente o vapor para cozer.

Sueli Longo "É importante ressaltar que, apesar de ser uma crença comum, a ingestão de alimentos crus não é necessariamente mais saudável. Tudo depende do tempo de cozimento e do alimento."
Sueli Longo - Nutricionista, especialista em nutrição e esporte e mestre em comunicação social.

Lembre-se, alguns nutrientes são potencializados pelo calor. É o caso do tomate, que quando cozido chega a fornecer até 35% mais licopeno e do betacaroteno presente em alimentos amarelos e alaranjados.

Que tal um incentivo a mais na mudança de hábito? Conheça os dez legumes mais consumidos pelos brasileiros. Leia a lista e eleja seu favorito!

Além disso, aqui no Saberhortifruti você pode conhecer a origem, descobrir curiosidades e até encontrar receitas de hortaliças como o maracujá, abóbora, abobrinha, manga, pera, berinjela e muito mais!

 

 

 

Principais fontes:

Brasil. Vigitel Brasil: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília, 2020.

FAO, Fruit and vegetables – your dietary essentials. The International Year of Fruits and Vegetables 2021 Background paper. 2020.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro, 2020.

3 dicas de fruta para comer no verão

Notícia

No calor, nada melhor do que investir em alimentos leves e saborosos como as frutas, não é mesmo? Confira três opções ideais para consumir nesse início de ano ...

Caules comestíveis

Caules comestíveis: conheça 4 opções surpreendentes

Notícia

Pode parecer estranho, mas os caules comestíveis são mais comuns do que você imagina. ...

Alimentos em conserva

Alimentos em conserva fazem mal a saúde?

Notícia

Alimentos em conserva são práticos, saborosos e mais duráveis, mas será que fazem bem a saúde? ...