facebook
Voltar para a lista

Jiló: rejeitado por muitos, mas adorado por alguns

25/04/2018

jilo

Você conhece a expressão “sobrou igual a jiló na janta”? Esse ditado popular faz referência à aversão que muitos têm pelo jiló. Ele, inclusive, já foi sinônimo de castigo alimentar para crianças. É inegável que o amargor do alimento faz muita gente torcer o nariz. Entretanto, conhecer seus benefícios pode fazer com que você encare o amargo com mais doçura.

Assim como o tomate, o jiló é um fruto e não um legume. Sua origem é pouco conhecida, mas acredita-se que ele tenha chegado ao Brasil no século XVII, pelas mãos de povos escravizados. Atualmente a produção concentra-se nos estados do Sudeste, com destaque para Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

A polpa do jiló, macia, porosa e com pequenas sementes brancas, lembra a da berinjela. O fruto se destaca por seu baixo valor calórico. De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (Taco), 100 gramas apresentam apenas 27 Kcal. Além disso, é fonte de fibras, nutriente que ajuda na sensação de saciedade, o que também contribui com quem está em busca da perda de peso.

Outros nutrientes presentes no alimento são carboidratos, proteínas, vitaminas A e C e minerais como ferro e cálcio. O jiló também contém 213 miligramas de potássio (a cada 100 gramas), nutriente com importantes funções neurais, musculares e vasculares. Em algumas regiões do Brasil há relatos do seu uso na medicina caseira.

 

Jiló: patinho feio ou belo cisne?

Ainda que o amargor faça muitos desistirem do jiló, é essa característica que atrai os apreciadores. Para quem não está disposto a encarar o sabor típico, é possível diminuí-lo com algumas técnicas culinárias. Entretanto, conforme a nutricionista Drª. Sueli Longo, isso não é o ideal: “esse sabor está relacionado com as propriedades nutricionais do fruto”.

Vale destacar que quanto mais maduro, mais amargo. Por isso, prefira comprar unidades mais verdes. O fruto bom para o consumo deve ser liso, brilhante, firme e sem machucados. Sua cor deve ser verde por igual, pois manchas amarelas indicam que o fruto já amadureceu.

Na culinária, os chefs recomendam prepará-lo com alho e cebola. Para acompanhar, o consumo com bebidas fermentadas harmoniza perfeitamente. É uma opção de entrada para os apreciadores de cerveja, por exemplo. Em Minas Gerais, é valorizado tanto puro quanto como ingrediente de outros pratos.

E para você? Na sua casa o jiló também sobra na janta ou é apreciado de diversas maneiras?

 

Fonte: Hortifruti, 25 de abril de 2018

taioba

Taioba – Saiba porquê você deveria incluir o vegetal na sua alimentação

Notícia

Uma hortaliça nutritiva, saborosa e fácil de fazer. Saiba mais sobre a taioba e coloque-a, definitivamente, no seu cardápio diário ...

26/09/2018

Quero ser grande! Brasil busca lugar de destaque na exportação de frutas

Notícia

Parceria entre Abrafrutas e Apex-Brasil tem como objetivo aumentar valor e volume de frutas exportadas ...

15/01/2018

PL do veneno

PL do veneno: conheça a proposta de alteração na legislação de agrotóxicos

Notícia

O termo PL do veneno está sendo usado para se referir a um projeto de lei que visa otimizar a liberação de agrotóxicos e ajudar os produtores a proteger suas lavouras ...

14/03/2019