facebook
Voltar para a lista

Farta no Maranhão, vinagreira é versátil e não tem nada a ver com vinagre

Vinagreira

Já ouviu falar da vinagreira? Característica da flora da região do Maranhão, essa planta está presente em diversos pratos típicos, garantindo cor e sabor aos preparos. Nativa da África, a hortaliça folhosa foi introduzida no Brasil no período colonial. Foi trazida pelos povos escravizados e se adaptou muito bem ao estado do Maranhão. Além de ser uma fonte de alimento e de fibras têxteis, a vinagreira também pode ser utilizada como base de corantes naturais e como planta ornamental em jardins.


SAIBA MAIS

O Abacaxi também é uma planta ornamental


De acordo com as pesquisas sobre a composição nutricional da vinagreira, 100g do alimento contem 3,3g de proteína vegetal, 0,3g de lipídeos, 9,2g de carboidratos, o que a classifica como uma hortaliça de baixo valor calórico. Em relação aos minerais e vitaminas merecem destaque o fósforo (214mg/100g), o ferro (4,8mg/100g), a vitamina C (54mg/100g) e o beta caroteno (4135µg/100g). Flavonóides e antocianinas também são encontrados nas folhas em porcentagem moderada.

 

Você sabia? No Norte, vinagreira, no Sul, hibisco.

Por essa você não esperava! A vinagreira e o hibisco vêm da mesma planta. O queridinho do mundo fitness nada mais é do que o nome que damos para as sépalas que envolvem o fruto da Hibiscus Sabdariffa. Já a vinagreira é o nome das folhas dessa mesma planta.

 

Características da hortaliça

Conhecida também como quiabo-roxo, quiabo-azedo, caruru-azedo, azedinha, quiabo-róseo e rosélia, a vinagreira é um arbusto vigoroso, com caule que pode ser verde, vermelho ou arroxeado. A planta pode chegar a até 3 metros de altura, contudo, enquanto hortaliça, efetua-se o manejo com corte, mantendo as plantas com 1 a 2 metros de altura.

Suas folhas são alternadas, lobadas e dentadas, com coloração verde ou púrpura. No Brasil, ocorrem sobretudo dois tipos: de folhagem verde, com nervuras vermelhas; e de folhagem avermelhada (púrpura). Seu surgimento é perene ou bianual.

 

Vinagreira na cultura popular

De acordo com a cultura popular maranhense, a vinagreira é considerada uma planta medicinal, com propriedades diuréticas, antiespasmódicas e digestivas. Assim, é utilizada também como laxante suave, corante, aromatizante e calmante.  É importante ressaltar, entretanto, que a ciência ainda não confirmou essas características.

Ainda conforme a cultura popular, a vinagreira também serve de inspiração para algumas lendas. Uma delas brinca com a aparência da vinagreira, que lembra bastante a Cannabis Sativa (planta que dá origem à maconha), justificando preguiça e a moleza que o consumo da vinagreira pode gerar.

 

Receitas típicas com vinagreira

No Estado do Maranhão, a vinagreira é a estrela de diversos preparos, entre eles o famoso arroz com cuxá (uma outra denominação para a vinagreira). Apreciado tanto em preparações caseiras, quanto em restaurantes, esse arroz é consumido com camarão ou pescado. Na receita, que pode variar de acordo com o cozinheiro, a vinagreira é misturada com camarão salgado, pimenta-de-cheiro e pimenta murici.

Quando não é misturado no arroz, o cuxá vira um prato diferente. São acrescentados o joão-gomes (uma hortaliça também conhecida como língua-de-vaca ou caruru) e o gergelim torrado. Da mesma forma, o cuxá também pode ser misturado com quiabo, dando origem ao batipuru, preparação para se comer com pão ou torrada.

 

Confira como preparar um bom cuxá:

Ingredientes

  • 500g de camarões secos e salgados
  • 1/2 xícara (chá) de gergelim
  • 1/2 xícara (chá) de óleo
  • 2 cebolas médias raladas
  • 1/4 xícara (chá) de pimenta de cheiro picada
  • 5 maços de vinagreira (cuxá) cozida
  • 1 xícara (chá) de água
  • 1/2 xícara (chá) de farinha de mandioca
  • 1 litro de água
  • 1/4 xícara (chá) de coentro e salsinhas picados

 

Modo de preparo:

Primeiramente, lave os camarões em água corrente. Deixe escorrer bem e reserve. Torre o gergelim em uma assadeira, em forno médio, preaquecido, por 10 minutos.

Em uma panela, coloque o óleo, a cebola e a pimenta de cheiro. Mexa e, logo depois, acrescente os camarões e deixe refogar por 10 minutos. Reserve.

Lave a vinagreira e ferva-a em uma panela com 1 xícara (chá) de água por 15 minutos. Posteriormente, bata no liquidificador e acrescente a pasta à panela onde estão os camarões refogados. Misture bem e deixe cozinhar por 3 minutos. Reserve.

No liquidificador, bata a farinha de mandioca com o gergelim já torrado até obter uma farinha fina. Adicione, então, 1 litro de água e bata novamente por mais 5 minutos. Despeje essa mistura dentro da panela que estão os camarões.

Por fim, leve ao fogo e deixe cozinhar por 20 minutos, mexendo sempre, até ficar com a consistência de um creme mole. Junte o coentro e a salsinha. Coloque em uma travessa e sirva.

Com certeza fará sucesso!

 

E você? Já conhecia a vinagreira? Conte para a gente no Facebook e não deixe de acessar também nossas matérias sobre alimentos típicos de Amazonas, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

 

Fonte: Hortifruti, 18 de julho de 2018

Para comer em outubro: 3 dicas de hortaliças

Notícia

Além das frutas, hortaliças também são influenciadas pela estação ...

Maçã geneticamente modificada chega aos supermercados dos EUA

Notícia

Fruta geneticamente modificada (GM) para não escurecer depois de cortada começou a ser comercializada em novembro ...

Você sabe o que é o picles? Descubra conosco

Notícia

Picles é sempre pepino? Não necessariamente. É possível fazer picles de qualquer vegetal. Conheça mais dessa forma de preparar e consumir alimentos ...