facebook
Voltar para a lista

Benefícios do pinhão, delícia de época que invade cardápio do inverno

Pinhão

O pinhão aproveita a chegada do inverno e das baixas temperaturas para aparecer mais nos pratos dos brasileiros, já que é o clima ideal para seu consumo. E mesmo para aqueles que detestam ver os termômetros marcando que o clima esfriou, a presença do pinhão é um bom motivo para comemorar, certo?
Semente da araucária, árvore abundante no estado do Paraná, muito se confunde o pinhão com o fruto que lhe dá origem, a pinha. Isso mesmo, o pinhão é a semente da pinha. Saiba mais sobre este delicioso alimento com a leitura do texto!

O pinhão já estava por aqui

pinhão e pinheiroAraucária ou pinheiro é a planta que da origem ao pinhão. A espécie Araucaria angustifolia é nativa do Brasil e não por acaso, é popularmente conhecida como pinheiro-brasileiro ou pinheiro-do-paraná.

Foi a exploração madeireira dessas árvores que no final do século XIX e início do século XX alavancou o desenvolvimento da região Sul. Atualmente as araucárias são protegidas por Lei e sua exploração proibida.

Saiba como a pesquisa pode reverter ameaça de extinção da araucária clicando aqui!

A colheita do pinhão é protegida por lei

Para garantir a sustentabilidade e proteger as araucárias da extinção, a colheita do pinhão possui regulamentação por lei. De acordo com a portaria 054/2008 do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), ela está permitida desde o dia 15 de abril e segue até o fim da queda do fruto dos pinheiros, próximo ao mês de julho.

Todo esse cuidado tem um motivo. As araucárias que, no século passado, ocupavam mais de 80 mil quilômetros quadrados do Paraná, hoje possuem uma área de cerca de 4% desse tamanho. Graças à proteção ambiental, a formação das florestas de araucária começou a nascer novamente.

Com isso, a comercialização do pinhão é permitida apenas para aqueles agricultores coletores que possuem terras com florestas de araucária, caracterizando um manejo agroextrativista – de grande importância para agricultura familiar, de comunidades locais e povos indígenas.

Família Goulin é produtora de hortaliças em Curitiba há x anos, os bisnetos e netos hoje cuidam de uma fazenda/área/terra de aproximadamente x hectares e que engloba uma área com pelo menos 200 árvores de araucária. Nos meses de maio a julho é feita a coleta do pinhão que é comercializado em feiras ou diretamente com clientes.

Além de ser um alimento tipicamente brasileiro, o fruto também é muito nutritivo – como você verá a seguir.


SAIBA MAIS

Conheça a fruta que é símbolo do Goiás

Também é típico da região sul: conheça mais da erva-mate


Conheça as principais características nutritivas do pinhão

pinhão invernoDe acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA – versão 7.1), 100g do fruto cozido contém 3,15g de proteína vegetal, 33,1g de carboidrato disponível, 10,7g de fibra alimentar e 175 calorias. O pinhão contém também vitaminas e minerais, com destaque para o potássio – 727mg/100g.

Curiosidade: a farinha de pinhão é um alimento isento de glúten e constitui uma opção para portadores de Doença Celíaca. Rica em nutrientes é uma alternativa interessante no preparo de receitas, contribuindo com um melhor perfil nutricional das preparações.

Mais dúvidas? pergunte ao google, nós respondemos!

Como escolher o fruto?

O pinhão colhido antes da época pode estar verde e, caso isso ocorra, o alimento fica sem sabor e com alta concentração de água. Para conferir se o pinhão está maduro, é preciso verificar a cor da casca: deve ser marrom nas pontas e amarelado no restante. Ao apertar, deve ser firme e não deve ceder à pressão dos dedos.

Quais os benefícios do pinhão para a saúde?

escolher pinhão

Alimento rico em fibra alimentar que no contexto de uma alimentação saudável, favorece a saúde da microbiota intestinal e contribui com a confere.  Em função do conteúdo de proteína vegetal é utilizado por vegetarianos, veganos e flextarianos para compor o aporte proteico diário da alimentação. Boa fonte de vitamina C, a qual possui função antioxidante e participa de processos metabólicos relacionados com produção de colágeno e imunidade.

Quantos pinhões posso comer por dia?

O pinhão possui como nutriente predominante o carboidrato, sendo assim uma porção de 50g de pinhão apresenta 87,5kcal que equivale em média a 01 colher de servir de arroz ou ½ pão francês ou 01 fatia de pão de forma.

Qual é o gosto do pinhão?

Não há um descritivo oficial para este sabor. O máximo que podemos nos arriscar é a frase clássica: alimento de sabor suave e característico. Muito associado a preparações típicas do inverno ou mesmo as festas juninas.

Que tipo de alimento é o pinhão?

Pinhão é uma semente, fonte de carboidrato e fibra alimentar. De acordo com o Tabela de Perfil de Carboidratos disponível na TBCA, o amido é o carboidrato predominante no alimento, sendo o índice glicêmico médio e a carga glicêmica baixa (porção 50g)

Diabéticos podem comer pinhão?

Em função do índice glicêmico médio e a carga glicêmica baixa (porção 50g) o pinhão é uma fonte de carboidrato que o paciente portador de diabetes pode incluir como alternativa aos carboidratos da alimentação diária.

Que tal incluir o pinhão na culinária

pinhão cozidoO pinhão é um alimento muito versátil. Seu consumo ocorre apenas assado ou na brasa, mas também em preparos mais complexos. Cozida com água e sal, a semente da araucária é perfeita para se comer ainda quentinha, direto da casca.

Quem encontra o pinhão com facilidade pode se arriscar na cozinha. Para isso, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lançou um livro com mais de 100 receitas que têm como ingrediente principal a semente. São receitas doces e salgadas, com testes de pesquisadores que mergulharam na cultura culinária paranaense.

Acesse o livro clicando aqui!

Um pouco mais sobre as araucárias

A araucária é uma árvore dominante em regiões elevadas e de temperaturas frias (média anual inferior a 18 °C), como as que predominam no Planalto Meridional Brasileiro, apelidado de Planalto das Araucárias – predominante na região Sul do País.

araucáriaNo entanto, as araucárias também estão presentes, em menor quantidade, em algumas regiões elevadas da Serra da Mantiqueira e Serra do Mar e que abrangem algumas áreas dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

As araucárias não gostam muito de luz e vivem bem em sombra, são plantas dioicas, ou seja, existem as plantas femininas e masculinas. A polinização é realizada pelo vento e por isso precisam conviver próximas uma das outras, formando as florestas de araucárias.

O plantio direto da araucária também pode ser feito e é realizado, principalmente, em viveiros, onde são produzidas mudas sadias para replantio e preservação da espécie. Para isso, enterra-se o pinhão (obliquamente, com a ponta virada para baixo) a uma profundidade de 3 a 6 cm, em solo de boa qualidade. A germinação deve ocorrer entre 20 e 110 dias.

Os pinhões são apreciados há muito tempo pelos povos indígenas e animais que também ajudaram na dispersão dessa planta pelo território brasileiro.

Atualmente, em muitas cidades da Região Sul e, também, da Sudeste, ocorrem “Festas do Pinhão”, sendo as mais conhecidas as de Lages, SC e de São Francisco de Paula, RS. Nessas festas, é possível encontrar inúmeras delícias feitas à base de pinhão, como: paçoca, entrevero, pudim, rocambole, bombom, licor, entre outros.

 

Conteúdo atualizado em 25/06/2021

 

Principais fontes:

Embrapa

Ministério do Meio Ambiente. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro –Região Sul / Lidio Coradin; Alexandre Siminski; Ademir Reis. – Brasília: MMA, 2011.

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA). Universidade de São Paulo (USP). Food Research Center (FoRC). Versão 7.1. São Paulo, 2020. [Acesso em: 16/06/2021]. Disponível em: http://www.fcf.usp.br/tbca.

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA). Universidade de São Paulo (USP). Tabeles Complementares: Resposta glicêmica. Food Research Center (FoRC). Versão 7.0. São Paulo, 2019. [Acesso em: 16/062021]. Disponível em: http://www.fcf.usp.br/tbca.

A alface ou o alface – eis a questão

Notícia

Verificamos a origem da palavra para que você nunca mais se confunda ao se referir a essa hortaliça tão apreciada pelos brasileiros ...

Caules comestíveis

Caules comestíveis: conheça 4 opções surpreendentes

Notícia

Pode parecer estranho, mas os caules comestíveis são mais comuns do que você imagina. ...

Vinagreira

Farta no Maranhão, vinagreira é versátil e não tem nada a ver com vinagre

Notícia

Presente no cotidiano de todo maranhense, a vinagreira possui esse nome graças ao azedinho típico de seu sabor. Conheça mais dessa hortaliça ...