facebook
Voltar para a lista

Recomendação diária de FLV – fique por dentro

17/05/2019

Recomendação diária de FLV

Todo mundo sabe que que comer frutas, legumes e verduras (FLV) é bom para a saúde. Mas qual é quantidade mínima desses alimentos que precisamos consumir para garantir seus benefícios? Se você também já se fez essa pergunta, está no lugar certo. Venha com a gente para descobrir qual é a recomendação diária de FLV.

A Recomendação diária de FLV

A recomendação diária de FLV foi estabelecida em conjunto pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas para e Agricultura e Alimentação (FAO/ONU). De acordo com essas instituições, o ideal é que as pessoas consumam, no mínimo, 400 gramas de frutas ou hortaliças por dia em cinco ou mais dias da semana. O estabelecimento dessa recomendação faz parte de uma estratégia integrada da FAO/ ONU para promover um maior consumo de frutas e verduras e assim reduzir o impacto da má alimentação na saúde da população mundial.


VEJA TAMBÉM

Qual a diferença entre alimentos convencionais e orgânicos?

Tire suas dúvidas sobre o uso de agrotóxicos


O brasileiro e a Recomendação diária de FLV

De acordo com o relatório Cenário Hortifruti 2018, o Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo. Entretanto, essa grande produção não parece estar refletida no consumo de FLV por parte da população. Segundo pesquisa realizada pelo Datafolha, apenas 40% dos brasileiros consomem frutas diariamente. Isso quer dizer que, ainda que todo esse percentual de pessoas consumissem FLV na quantidade recomendada, apenas 4 de cada 10 brasileiros estariam dentro das diretrizes da FAO/ONU.

Mas nem tudo está perdido! A pesquisa do Datafolha também aponta que, ainda que não diariamente, o consumo desses alimentos ocorre.  Segundo o levantamento:

  • frutas são consumidas por 99% dos entrevistados, mas somente 39% comem todos os dias.
  • Verduras e legumes, por sua vez, são consumidos por 96% das pessoas, mas também com pouca frequência – 45% dos participantes disseram incluir verduras na dieta todos os dias, Esse percentual cai para 41% quando falamos de legumes.

Os números dessa pesquisa corroboram as informações de um estudo realizado pelo Ministério da Saúde (MS) em 2016. Segundo o trabalho do MS, apenas 24,1% dos brasileiros ingerem a recomendação diária de FLV. Entre os homens, o percentual verificado pela pesquisa é ainda menor: apenas 19,3%. Entre as mulheres, o consumo atinge 28,3% do total.    

Esses resultados acendem um sinal amarelo para o País, principalmente se levarmos em consideração que o excesso de peso no Brasil cresceu 26,3% nos últimos dez anos. A população brasileira acima do peso passou de  42,6% em 2006 para 53,8% em 2016.

Metade do consumo de um europeu

Esse cenário aponta que o brasileiro consome menos da metade de FLV do que um europeu.  Segundo o Instituto Brasileiro de Frutas (IBRAF), o consumo per capita no Brasil é de 57 kg/ano, enquanto o da Espanha é de 120 kg/ano, o da França, 114,8kg/ano, o da Itália, 114 kg/ano, e o da Alemanha, 112 kg/ano. De acordo com dados da FreshFel, associação européia de produtos frescos, a média europeia é de 129 kg de frutas e hortaliças por ano.

Ainda assim, o consumo desses alimentos na Europa ainda está abaixo do recomendado pela OMS. Passando a recomendação diária para valores anuais teríamos 146 kg ao ano, 27 quilos a mais do que a média europeia.

A importância do consumo de FLV

Muita gente não consegue consumir a recomendação diária de FLV embora conheça os benefícios que o consumo desses alimentos trazem à saúde. Mesmo assim, é sempre bom lembrar as vantagens de uma dieta rica em frutas, legumes e verduras.

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), aproximadamente 2,7 milhões de óbitos podem ser atribuídos a um baixo consumo de frutas e vegetais. Isso acontece porque nosso organismo necessita dos nutrientes encontrados em grande densidade nas FLV. A falta ou a deficiência desses nutrientes pode desencadear problemas de saúde, dos mais simples aos mais graves.  

Vale destacar ainda que estudos recentes sobre nutrição e prevenção de doenças crônicas sugerem correlação entre a alimentação e a prevenção e o controle de doenças crônicas como diabetes, doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer, entre outras.

Um desses estudos, realizado pelo norueguês Dagfinn Aune e publicado no International Journal of Epidemiology, envolveu mais de 2 milhões de pessoas. O trabalho aponta que o consumo diário de 800g de FLV pode estar associado à redução de 31% no risco de morte prematura, 24% no risco de cardiopatias, 33% no de derrames, 28% no de doenças cardiovasculares e 13% no de câncer.

Como a OMS estabeleceu a recomendação diária de FLV?

As metas de consumo de FLV indicadas pela OMS e pela FAO são baseadas em dados científicos que revelam a quantidade mínima necessária de nutrientes para o bom funcionamento de nosso organismo. Essas recomendações foram criadas visando reverter o impacto negativo de alguns hábitos alimentares adquiridos pela população global ao longo dos últimos dois séculos. A ideia é que as orientações se adaptem às dietas de diferentes locais do mundo, podendo ser seguidas por meio do consumo de uma variada gama de alimentos, levando em consideração a cultura e o ambiente local.

 

Como podemos aumentar a ingestão diária de FLV?

Atingir a recomendação diária de FLV pode parecer difícil, mas não é. É o que afirma a nutricionista Sueli Longo.

Recomendação diária de FLV tabela

Sueli explica ainda que para aumentar o consumo de FLV duas palavras são fundamentais: curiosidade e disponibilidade.

A curiosidade nos faz conhecer novos sabores e combinações. Existe uma incrível variedade de hortaliças e frutas, cada uma delas com cores e sabores diferentes. As cores podem variar do verde, passando pelo amarelo, até chegar ao roxo. Além disso, a forma de preparo também permite experimentações: “Você pode comer uma salada de vegetais crus, uma couve à mineira ou até mesmo um repolho refogado.”

A disponibilidade entre em cena para nos garantir que o preço e o aspecto nutricional da hortaliça escolhida seja o melhor possível. Cada época do ano é mais favorável a um tipo de fruta e hortaliça e isso pode influenciar a quantidade de nutrientes presentes nelas. Por isso, é sempre bom acompanhar o calendário e descobrir qual é a época de cada vegetal. Dessa forma, você garante alimentos cores mais vivas, sabor mais marcante e nutrientes em suas doses máximas.

 

Quem pretende aumentar o consumo de FLV ou quer conhecer mais das opções que o Brasil oferece, pode baixar gratuitamente o e-book “Viagem pelo Brasil em 15 alimentos regionais”.

 

Fonte: Hortifruti, 17 de maio de 2019

Crucíferas são hortaliças que fazem vem a saúde

Crucíferas: você sabe o que são?

Notícia

Se essa pergunta te deu um nó na cabeça, esse texto é para você. Conheça as brássicas e saiba o motivo pelo qual elas são importantes para a alimentação! ...

08/12/2017

frutas tropicais

Conheça as frutas tropicais tipo exportação

Notícia

Ganhando cada vez mais adeptos em terras temperadas, frutas tropicais são opções saborosas e saudáveis ...

21/02/2019

Armazenamento de alimentos

Armazenamento de alimentos: como eles podem durar mais tempo?

Notícia

O armazenamento de alimentos é uma tarefa importantíssima para a sua conservação. Confira dicas de como fazer corretamente ...

14/01/2019