facebook
Voltar para a lista

Taioba – Saiba porquê você deveria incluir o vegetal na sua alimentação

taioba

Muito conhecida nos estados de Minas Gerais e Goiás, a taioba é uma hortaliça rústica, saborosa e com grande versatilidade. Hoje fora do circuito comercial nacional, a taioba já foi um alimento muito presente no dia a dia do brasileiro. No período colonial, a verdura, juntamente com o quiabo e couve, tinha presença quase diária nos pratos. Atualmente, entretanto, seu consumo é concentrado nos estados do sudeste e centro-oeste.

A taioba é de cultivo fácil e cresce em qualquer quintal. Desenvolve-se com mais facilidade em climas quentes e úmidos (presentes em quase todo país).  Originária da América Tropical e Equatorial, o vegetal produz um rizoma central grande e outros laterais, mais estreitos e alongados, com até 20 cm de comprimento. Possui um pseudocaule formado pela bainha das folhas, que são largas e grandes, podendo atingir mais de 1 metro de altura. As folhas são a principal parte comestível, mas os rizomas também podem ser consumidos se bem cozidos ou quando processados na forma de farinha.

O sabor de suas folhas lembra o do espinafre. É importante que o seu consumo seja feito logo após a colheita, já que a taioba apresenta vida útil relativamente curta, de 1 a 2 dias em temperatura ambiente. Em condições de refigeração é de até uma semana – desde que embalada em saco plástico.

 

Como identificar a taioba

Nem sempre é fácil reconhecer uma taioba. Além de ser muito parecida com a folha de inhame (que não é comestível), nem toda espécie de taioba pode ser levada para a cozinha.  A taioba-brava não é indicada para o consumo humano pois possui alta concentração de oxalato de cálcio, uma substância que pode causar asfixia, ardor na garganta e na boca. Por isso, recomenda-se apenas o consumo da taioba-mansa. Vale destacar que a taioba-brava é mais comum na região amazônica e dificilmente é encontrada nas plantações do sudeste. Ainda assim, é bom estar atento e conferir se a taioba é comestível.

Para identificar se a taioba é da espécie mansa, busque saber a procedência da planta, depois observe se existe um ponto roxo na área onde o pecíolo (segmento da folha que se prende ao ramo ou tronco) se encontra com a folha. Caso positivo, a planta é selvagem e não deve ser consumida. Além disso, as plantas “mansas” tendem a serem mais claras que as variedades selvagens.

 

Como preparar e consumir Taioba

A taioba-mansa também possui oxalato de cálcio, porém em quantidades muito menores do que em sua versão selvagem. Ainda assim, é recomendado cozinhá-la ou refogá-la para eliminar a substância. O preparo da hortaliça não exige técnicas apuradas e é muito rápido: basta picar grosseiramente e jogar em uma frigideira com um pouco de azeite ou óleo e uma pitada de sal. Em poucos minutos sua taioba estará pronta para o consumo.

Ela pode ser consumida refogada ou em outras preparações, como caldos, molhos, bolinhos e tortas salgadas, por exemplo. Além disso, nada é desperdiçado e seu talo pode ser transformado em um delicioso purê.

 

Benefícios da taioba

A taioba se destaca pelo seu baixo valor energético. Cada porção, que é de uma colher de servir ou duas colheres de sopa (cerca de 40 gramas), apresenta apenas 16,8 calorias. Além disso, o vegetal é um alimento altamente nutritivo. De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (Tbca), o vegetal cozido sem sal apresenta fibras, vitaminas A e E e minerais, como o cálcio, magnésio, fósforo, sódio, potássio e o zinco.

A hortaliça também é considerada fonte de fibras, nutriente fundamental para a boa saúde do sistema digestivo. Ingerir a quantidade certa de fibras melhora o trânsito intestinal, pois facilita os movimentos feitos pelo intestino e nutrem os microrganismos responsáveis pela microbiota intestinal do corpo.

 

Curiosidades da hortaliça

Se em algumas regiões a taioba é pouco conhecida ou consumida, em Mar de Espanha, cidade mineira, a hortaliça ganha papel de destaque até no Carnaval. O município é um dos principais destinos quando o assunto é Folia em Minas Gerais e, em todos os anos de programação carnavalesca, propaga a tradição do “Bloco da Taioba”.

No amanhecer da quarta-feira de cinzas (06h), todos os moradores e turistas que aproveitam os dias de festa por lá procuram pelas plantações de taioba – abundantes na região -, “capturam” as suas folhas do alimento e se concentram para a saída do bloco. Com as hortaliças em mãos, os participantes fazem uma caminhada pela principal rua da cidade até a praça central. Não se sabe de onde e como surgiu essa tradição, mas ela é seguida fielmente e com participação gratuita!

Quer levar uma taioba para casa? Fique atento, as hortaliças rústicas também precisam ser guardadas da forma correta, entenda a melhor forma de armazenar as diferentes hortaliças no refrigerador assistindo o vídeo abaixo.

 

Fonte: Hortifruti, 26 de setembro de 2018

Referências:

  • Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Ggia de alimentos regionais brasileiros. Brasília: MS; 2008.
  • Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA). Universidade de São Paulo (USP). Food Research Center (FoRC). Versão 6.0. São Paulo, 2017. [Acesso em: agosto/2018 ]. Disponível em: http://www.fcf.usp.br/tbca
Futuro da alimentação

O futuro da alimentação já começou

Notícia

O Futuro da Alimentação é um evento criado para discutir os desafios de se alimentar uma população mundial que não para de crescer ...

limão

Limão: um azedinho que não pode faltar

Notícia

Azedo e versátil, o limão está presente em diversas receitas, mas sua produção sofre várias ameaças no campo ...

manga

Conheça os quatro tipos de manga mais comuns no Brasil

Notícia

Existe uma infinidade de variedades de manga, mas será possível descobrir qual delas é a mais saborosa? Clique e confira ...