facebook
Voltar para a lista

Taioba – Saiba porquê você deveria incluir o vegetal na sua alimentação

26/09/2018

taioba

Muito conhecida nos estados de Minas Gerais e Goiás, a taioba é uma hortaliça rústica, saborosa e com grande versatilidade. Hoje fora do circuito comercial nacional, a taioba já foi um alimento muito presente no dia a dia do brasileiro. No período colonial, a verdura, juntamente com o quiabo e couve, tinha presença quase diária nos pratos. Atualmente, entretanto, seu consumo é concentrado nos estados do sudeste e centro-oeste.

A taioba é de cultivo fácil e cresce em qualquer quintal. Desenvolve-se com mais facilidade em climas quentes e úmidos (presentes em quase todo país).  Originária da América Tropical e Equatorial, o vegetal produz um rizoma central grande e outros laterais, mais estreitos e alongados, com até 20 cm de comprimento. Possui um pseudocaule formado pela bainha das folhas, que são largas e grandes, podendo atingir mais de 1 metro de altura. As folhas são a principal parte comestível, mas os rizomas também podem ser consumidos se bem cozidos ou quando processados na forma de farinha.

O sabor de suas folhas lembra o do espinafre. É importante que o seu consumo seja feito logo após a colheita, já que a taioba apresenta vida útil relativamente curta, de 1 a 2 dias em temperatura ambiente. Em condições de refigeração é de até uma semana – desde que embalada em saco plástico.

 

Como identificar a taioba

Nem sempre é fácil reconhecer uma taioba. Além de ser muito parecida com a folha de inhame (que não é comestível), nem toda espécie de taioba pode ser levada para a cozinha.  A taioba-brava não é indicada para o consumo humano pois possui alta concentração de oxalato de cálcio, uma substância que pode causar asfixia, ardor na garganta e na boca. Por isso, recomenda-se apenas o consumo da taioba-mansa. Vale destacar que a taioba-brava é mais comum na região amazônica e dificilmente é encontrada nas plantações do sudeste. Ainda assim, é bom estar atento e conferir se a taioba é comestível.

Para identificar se a taioba é da espécie mansa, busque saber a procedência da planta, depois observe se existe um ponto roxo na área onde o pecíolo (segmento da folha que se prende ao ramo ou tronco) se encontra com a folha. Caso positivo, a planta é selvagem e não deve ser consumida. Além disso, as plantas “mansas” tendem a serem mais claras que as variedades selvagens.

 

Como preparar e consumir Taioba

A taioba-mansa também possui oxalato de cálcio, porém em quantidades muito menores do que em sua versão selvagem. Ainda assim, é recomendado cozinhá-la ou refogá-la para eliminar a substância. O preparo da hortaliça não exige técnicas apuradas e é muito rápido: basta picar grosseiramente e jogar em uma frigideira com um pouco de azeite ou óleo e uma pitada de sal. Em poucos minutos sua taioba estará pronta para o consumo.

Ela pode ser consumida refogada ou em outras preparações, como caldos, molhos, bolinhos e tortas salgadas, por exemplo. Além disso, nada é desperdiçado e seu talo pode ser transformado em um delicioso purê.

 

Benefícios da taioba

A taioba se destaca pelo seu baixo valor energético. Cada porção, que é de uma colher de servir ou duas colheres de sopa (cerca de 40 gramas), apresenta apenas 16,8 calorias. Além disso, o vegetal é um alimento altamente nutritivo. De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (Tbca), o vegetal cozido sem sal apresenta fibras, vitaminas A e E e minerais, como o cálcio, magnésio, fósforo, sódio, potássio e o zinco.

A hortaliça também é considerada fonte de fibras, nutriente fundamental para a boa saúde do sistema digestivo. Ingerir a quantidade certa de fibras melhora o trânsito intestinal, pois facilita os movimentos feitos pelo intestino e nutrem os microrganismos responsáveis pela microbiota intestinal do corpo.

 

Curiosidades da hortaliça

Se em algumas regiões a taioba é pouco conhecida ou consumida, em Mar de Espanha, cidade mineira, a hortaliça ganha papel de destaque até no Carnaval. O município é um dos principais destinos quando o assunto é Folia em Minas Gerais e, em todos os anos de programação carnavalesca, propaga a tradição do “Bloco da Taioba”.

No amanhecer da quarta-feira de cinzas (06h), todos os moradores e turistas que aproveitam os dias de festa por lá procuram pelas plantações de taioba – abundantes na região -, “capturam” as suas folhas do alimento e se concentram para a saída do bloco. Com as hortaliças em mãos, os participantes fazem uma caminhada pela principal rua da cidade até a praça central. Não se sabe de onde e como surgiu essa tradição, mas ela é seguida fielmente e com participação gratuita!

Quer levar uma taioba para casa? Fique atento, as hortaliças rústicas também precisam ser guardadas da forma correta, entenda a melhor forma de armazenar as diferentes hortaliças no refrigerador assistindo o vídeo abaixo.

 

Fonte: Hortifruti, 26 de setembro de 2018

Referências:

  • Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Ggia de alimentos regionais brasileiros. Brasília: MS; 2008.
  • Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TBCA). Universidade de São Paulo (USP). Food Research Center (FoRC). Versão 6.0. São Paulo, 2017. [Acesso em: agosto/2018 ]. Disponível em: http://www.fcf.usp.br/tbca
Tâmara

Tâmara: tradição e sabor vindos do mundo árabe

Notícia

Apesar de pequena, a tâmara possui um perfil nutricional interessante: é fonte de fibras e de potássio ...

24/06/2019

Hortaliças para comer em janeiro

Notícia

Saber quais hortaliças e frutas são típicas de janeiro é uma excelente maneira de começar o ano economizando e diversificando o cardápio ...

05/01/2018

Você sabe o que é o picles? Descubra conosco

Notícia

Picles é sempre pepino? Não necessariamente. É possível fazer picles de qualquer vegetal. Conheça mais dessa forma de preparar e consumir alimentos ...

19/09/2018