facebook
Voltar para a lista

Tâmara: tradição e sabor vindos do mundo árabe

24/06/2019

Tâmara

Uma tâmara, dizem os povos árabes, é o suficiente para um beduíno se manter em marcha por três dias. No primeiro dia, o nômade come a pele, no segundo se delicia com o fruto e no terceiro acaba com o caroço. A fruta está também envolta em outras tradições e carrega diversos significados. Por exemplo, é considerada sagrada para algumas populações e a presença de uma tamareira junto às casas indica hospitalidade para outras.

De cor avermelhada e polpa fibrosa, pressupõe-se que a tâmara tenha origem na zona desértica do Oriente Médio. Atualmente, são cultivadas maioritariamente no Norte de África e em áreas específicas do subcontinente indiano. Os maiores produtores da fruta – responsáveis por 98% do total comercializado – são Egito, Irã, Arábia Saudita, Paquistão e Iraque.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO),  as tâmaras são um cultivo de subsistência de extrema importância em quase todas as regiões desérticas. Para milhões de pessoas, as tâmaras são também parte vital da cultura e da agrobiodiversidade de suas regiões.

A tamareira

O nome científico da tamareira é Phoenix dactylifera.  A tamareira é uma palmeira que tem entre 15 a 20 metros de altura, com folhas atingindo até três metros de comprimento.


O nome dado ao  gênero da tamareira (Phoenix) é de origem grega e não está relacionado com a ave mítica que renasce das cinzas mas com a Fenícia – local de onde os gregos acreditavam que a fruta era originária.


Os frutos nascem em cachos, de forma semelhante ao crescimento do açaí. A colheita vai de agosto a outubro, mas as tâmaras podem ser encontradas o ano inteiro.

A rainha das tâmaras

Tâmara frutaExistem cerca de 50 variedades de tâmaras –  todas famosas pelo seu sabor adocicado. Essas variações se dividem em três tipos diferentes:

  • A suculenta (ou mole)
  • A semi-seca
  • Seca

Integrante do grupo das suculentas, a tâmara de medjoul é uma atração à parte. De origem marroquina, a medjoul – que em árabe significa desconhecida – é considerada a rainha das tâmaras.

É uma variedade inconfundível. Três vezes maior do que as demais e muito mais doce. É utilizada como matéria-prima do silan, mel de tâmara, produto utilizado como adoçante natural.

Assim como outras variedades, a medjoul é uma fruta com uma coloração que vai do marrom ao roxo escuro. A casca é lisa e a polpa é extremamente cremosa.

Como consumir tâmara

As tâmaras podem ser consumidas de diversas formas.  Muitas pessoas conhecem e consomem apenas a versão seca da fruta, geralmente nas comemorações de fim de ano.

Entretanto, a tâmara pode ser utilizada como aperitivo, prato principal e sobremesa, ou seja, uma fruta ideal para quem gosta de se arriscar na cozinha e surpreender.

É possível encontrar preparos de entradas com a tâmara recheada (amêndoas, pistache e queijo são os recheios mais comuns). Como prato principal ela combina perfeitamente com frango e folhas e, na hora da sobremesa, pode ser consumida in natura ou na forma de tortas e pudins.

As possibilidades são inúmeras e, apesar de ser uma fruta estrangeira, já é possível encontrá-la nos mercados brasileiros com uma certa facilidade.


      VEJA TAMBÉM

Saiba como armazenar os alimentos corretamente.

Conheças os tipos de manga mais comuns no Brasil


Propriedades nutricionais

A tâmara, apesar de pequena, possui um perfil nutricional muito interessante, principalmente se levarmos em consideração a quantidade de fibras.

É considerada uma excelente fonte de desse nutriente, uma vez que 100 gramas da fruta apresentam 8 gramas de fibra. Isso representa 35% das necessidades diárias de um ser humano adulto.

Além disso, possui um bom aporte energético. 100 gramas da fruta seca possuem 282 calorias.

Dentre as vitaminas e os minerais, as tâmaras se destacam pela quantidade de potássio presente em sua composição. Cada 100 gramas apresentam 656 miligramas de potássio.

Um comparativo com a banana

Muitas vezes, quando falamos de frutas exóticas ou estrangeiras, é comum que as informações nutricionais não fiquem muito claras. Para evitar que isso ocorra, o ideal é fazer um comparativo com uma fruta que seja popular.

Dessa forma, a nutricionista, Sueli Longo, realizou um levantamento comparando as tâmaras com a banana prata.

"Quatro tâmaras secas apresentam a mesma quantidade de calorias que uma banana média - 80 kcal. O destaque está na quantidade de fibras, que a tâmara tem mais que a banana."

A nutricionista ainda comenta que a banana tem mais potássio. Além disso, sem levar consideração o fator preço, a tâmara garante liberdade ao consumidor. “Quem está de busca um bom aporte fibras, deve optar pela tâmara. Entretanto se a opção foi o aporte de potássio, a banana é a melhor opção.” finaliza.

Que tal conhecer mais sobre outra fruta exótica? A Pitaya é chamada de fruta do dragão e também está ganhando a atenção dos brasileiros. Clique aqui para saber mais. E o Durian? Você conhece? Essa fruta exótica é até proibida em locais públicos de alguns países.

 

Fonte: Hortifruti, 24 de junho de 2019

Hortaliças para comer em janeiro

Notícia

Saber quais hortaliças e frutas são típicas de janeiro é uma excelente maneira de começar o ano economizando e diversificando o cardápio ...

05/01/2018

manga

Conheça os quatro tipos de manga mais comuns no Brasil

Notícia

Existe uma infinidade de variedades de manga, mas será possível descobrir qual delas é a mais saborosa? Clique e confira ...

04/04/2018

A agricultura precisa realmente dos agrotóxicos?

Entrevista

O pesquisador da Embrapa Fernando Adegas revela por que a produção agrícola tropical precisa lançar mão de tecnologias para ser competitiva ...

16/10/2017